Senior woman standing alone at home

A frustração, o idoso e a família.

Envelhecer é frustrante! Antes de me tacar pedra, deixa eu explicar!

 

Sim, temos que agradecer por estar envelhecendo! E isso independente do creme caro que você usa ou do botox aplicado a cada 6 meses! Se estamos vivos, estamos envelhecendo! A negação do envelhecer tem levado a grandes problemas sociais e pessoais.

 

Porém o fato de vivermos bem o nosso envelhecimento, não tira a frustração envolvida. Pense na sua avó que sempre fez tudo sozinha, cuidou da casa, marido, filhos e netos, e agora, mesmo totalmente lúcida e autônoma, não consegue ir à padaria comprar seu pãozinho de toda tarde porque a dor no joelho não deixa e o medo de cair ao atravessar a rua é constante.

 

Pense naquele tio que sempre foi o mais brincalhão, contador de causos, cantava nas festas de família e que agora quando tentar contar uma história se perde entre com as palavras, e as pessoas sem perceber o atropelam com outras histórias deixando-o de escanteio. Ele não sabe o que acontece, mas na hora “H” as palavras falta, as imagens somem…, mas ele sabe que está sendo ignorado, que algo de “anormal” está acontecendo.

 

A frustração está presente desde criança quando ainda sem saber andar queremos pegar algo e não alcançamos, vamos rastejando, engatinhando até começar a andar e alcançar o que queremos. Falamos muito que a geração atual não se frustra, pois, os pais acabam dando tudo de mão beijada sem precisar aprender ou correr atrás.

Acontece que essa geração de idosos que está entre nós hoje, correu muito! Eles já lutaram, trabalharam, criaram famílias, passaram por crises, e estão vivendo nesta fase da vida, talvez uma das maiores crises! Eles já se frustraram muito, mas mesmo assim, não ter independência e autonomia sob a própria vida machuca, dói e desanima. FRUSTRA.

 

Este texto foi escrito por dois motivos:

  1. Tenha empatia. Coloque-se no lugar do outro, com os olhos do outro, na pele do outro. Quando estiver em uma situação de conflito ou de stress tente imaginar como ele ou ela está vendo e sentindo aquele momento. Respire, faça pausa, e controle a sua frustração de não poder fazer mais, resolver, tirar aquela dor… trabalhe a compaixão.
  2. Pense em como você quer envelhecer. Trabalhe o autoconhecimento. Prepare-se todos os dias para o próximo dia. A negação do envelhecimento só vai te trazer ainda mais dor e frustração lá na frente. Aproveite que hoje temos mito mais acesso ao conhecimento, discussões, terapias. Envelhecimento é processo e você já está vivendo-o, queira ou não.

 

Esse sentimento não precisa ser incapacitante desde que você tenha clareza da situação. Racionalize os fatos, controle as suas expectativas, reconheça que você está fazendo o seu melhor! Dessa forma podemos trabalhar pelo menos a sua frustração, para poder ajudar melhor o idoso a lidar com a dele.

COMPARTILHE O POST

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email