Design sem nome (10)

Como cuidar de quem não cuidou de mim?

Com o passar do tempo tenho recebido diversos casos onde um filho ou um parente próximo precisa tornar-se responsável pelos cuidados de um idoso que muitas vezes não dispensou toda a atenção, cuidado e amor que aquela pessoa esperava ou precisava quando jovem ou criança.

 

É mais comum falarmos sobre a responsabilidade de cuidar de quem nos deu amor e carinho, mas como já falei outras vezes, uma pessoa não se torna boazinha e amorosa só porque envelheceu. E ai? Como então zelar por alguém que nos deixou marcas negativas?

 

Lembre-se sempre que nós somos responsáveis apenas por nossos atos. Podemos escolher e agir com base naquilo que podemos ter ação, ou seja, em última estancia, façamos o que precisa ser feito por nós.

 

De à você a chance de superar sentimentos negativos de ressentimento, raiva ou tristeza para que você de espaço para que possa surgir a consciência de que existe algo em nos que sabe que estamos fazendo tudo o que precisa ser feito, que há um proposito maior para estarem vivendo essa situação.

Agradeça a oportunidade que está tendo para “recuperar” essa relação e substituir as memórias não saudáveis por boas histórias de amor e perdão.

 

Pense que ao alimentar o negativismo você está causando sofrimento a você mesmo, e isso pode nos ajudar a colocar acima das limitações das reações. Assim que reconhecemos a nossa própria infelicidade como algo não inteligente nos libertamos dela, e buscamos maneiras de ajudar ao outro e assim fazer o melhor que podemos por nós e por ele também.

COMPARTILHE O POST

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email