Oficinas Temáticas

Inspiração com muitas histórias!

Oficina de Teatro

A expectativa de vida no Brasil cresce a cada ano em razão dos avanços científicos, tecnológicos e da concepção de hábitos saudáveis adotados por grande parte da população por meio do acesso à informação. A longevidade é uma conquista da sociedade contemporânea e um novo desafio, considerando que o número de idosos está crescendo e que a sociedade não se preparou previamente para atender essa demanda. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (2005), a proporção de pessoas com idade igual ou superior a 60 anos está crescendo rapidamente; estima-se que em 2025 haverá aproximadamente 1,2 bilhão de pessoas com mais de 60 anos, aumentando esta expectativa para 2 bilhões em 2050, sendo que 80% dessas pessoas se encontram nos países em fase de desenvolvimento, na qual se enquadra o Brasil. Com isso surgem políticas públicas que atuam na prevenção e promoção do Envelhecimento Ativo, programa proposto pela Organização Mundial da Saúde que prevê o processo de otimização dos três pilares: saúde, participação e segurança, contemplando assim seus aspectos biopsicossociais que objetivam melhor qualidade de vida à pessoa idosa. A arte surge neste cenário por meio de oficinas socioeducativas e culturais com a proposta de favorecer a saúde mental e física do idoso, estimulando também a socialização e o protagonismo, e contribuindo na manutenção de sua independência e autonomia, fatores importantes na preservação da identidade e da capacidade funcional do indivíduo. O teatro é uma das linguagens artísticas que contempla as expectativas de quem atua com esse segmento, sendo difundido em diversos grupos; embora haja pré-conceito por parte de alguns idosos que acreditam ser uma linguagem elitizada e associada a diversos mitos do envelhecimento, entre estes a perda de memória.

Os conceitos contemporâneos de arte-educação estimulam a aproximação do educando com as linguagens da arte, favorecendo novas leituras, conceitos e técnicas, permitindo que este aprenda por meio da aproximação com o mundo empírico, no qual a vivência é um dos fatores fundamentais para o processo artístico. Por este motivo a arte-educação é prevista em oficinas e cursos que são promovidos ao público idoso, atuando em suas especificidades em prol de melhor qualidade de vida. Diante do novo paradigma social, o envelhecimento populacional, no qual contamos com o aumento representativo de idosos ativos e saudáveis, muitos profissionais que atuam diretamente com este público têm o comprometimento, por meio de suas ações educativas, de estimular a independência e autonomia do idoso, fatores fundamentais para a promoção de melhor qualidade de vida. O teatro é uma das linguagens artísticas que contribuem com os aspectos relevantes para o envelhecimento ativo, contribuindo com a socialização de temas e suas relações entre passado e contemporaneidade, conceitos e pré-conceitos, a desmistificação da velhice, o resgate e a preservação da memória cultural, além de ser uma das linguagens que permitem a disseminação de conhecimentos pertinentes à prevenção e preservação da saúde e da participação social protagonista, algo fundamental para a garantia do pleno exercício da cidadania no envelhecimento. A cada dia que passa, com o surgimento das políticas em atenção à população idosa, há uma exigência maior na qualificação desses profissionais de arte-educação para que atendam as especificidades desse público, na técnica, na qualidade artística e na atenção às particularidades, contemplando seus aspectos biopsicossociais, promovendo o diálogo da velhice com a sociedade e favorecendo a inclusão social e a desmistificação do envelhecimento. Como manter este equilíbrio entre a arte teatral e o comprometimento com os aspectos sociais e de saúde do idoso, sem perder de vista a qualidade de ambos, de modo a promover uma vivência de qualidade artística e de grande significação na (re)construção pessoal para o participante? A arte e a Gerontologia podem caminhar juntas sem se perderem solitárias pelo processo metodológico? Estas são questões fundamentais para repensar as metodologias, rediscutir os procedimentos e reavaliar a prática teatral. É possível desenvolver propostas metodológicas focadas no envelhecimento e na arte utilizando-se de ações interdisciplinares, perpassando o processo de autoconhecimento, instigando a educação libertadora de mitos e pré- -conceitos e estimulando a leitura da arte, o fazer artístico e sua contextualização; e assim possibilitar, por meio da vivência artística, o processo inclusivo, contemplar as especificidades do público idoso e promover, por meio da inclusão cultural, melhor qualidade de vida nessa fase da vida.

Fonte: A Terceira Idade: Estudos sobre Envelhecimento /Serviço Social do Comércio. st – Gerência de Estudos e Programas da Terceira Idade. Ano 1, n. 1 (set. 1988) – São Paulo: sesc-geti, 1988-