Design sem nome (6)

Porque decidi trabalhar com idosos?

Eu apareço pouco por aqui como “pessoa física”, mas hoje resolvi contar um pouco da minha história até chegar aqui. Me chamo Fabiane, tenho 35 anos e dois filhos. Criei, projetei, levantei cada pedacinho (inclusive os caquinhos) da Vida Priori até aqui, lá se vão três anos e meio!

 

Parece que essa semana aconteceu o dia do empreendedorismo feminino, e só quem empreende sabe o que significa isso! Não é para qualquer um. Hoje vejo o quanto me arrisquei  – e me arrisco todo dia- neste mundo! Se já é difícil para qualquer um, imagine para uma engenheira que quer trabalhar com idosos! Sim! Sou engenheira de formação e exerci por quase 9 anos, até 2015 quando o “universo” me disse: “Você jura que é só isso que você vai fazer na sua vida? Que meus amigos e colegas de profissão não me entendam mal. Tenho muito orgulho de ser engenheira e de ter trabalhado onde trabalhei, porém PARA MIM, não me realizava, não era suficiente. E veja bem que isso não tem nada a ver com dinheiro – beeem, mas bem pelo contrário.

 

Precisava fazer algo que eu sentisse que me completasse. Que todo dia, se eu desaparecesse de uma hora para outra, eu tivesse deixado o mundo 0,001% melhor. E aí apareceram os idosos e o envelhecimento. Eu gosto de ser diferente! É verdade! Gosto de fazer o que ninguém faz, e convenhamos que poucas pessoas enxergam os idosos de verdade. O que é bom por um lado, porque preenche essa minha vontade de fazer algo pelos menos percebidos, mas ao mesmo tempo torna tudo mais difícil quando se fala de negócio, por que ainda são poucas as pessoas que investem, dão valor, e gastam com idosos.

 

Mas veja que ali em cima eu falei que a questão não era dinheiro! É dar algo a mais, normalmente TEMPO e presença, para alguém que já não tem tempo nenhum a perder. E a Dr. Ana Claudia Quintana Arantes tem uma frase muito profunda que é, se a pessoa não tem tempo a perder ela valoriza o tempo que tem, e por consequência valoriza o meu tempo também”. Dinheiro e bens materiais você conquista e recupera, mas tempo, dinheiro nenhum traz de volta.

 

Hoje me peguei pensando o que significaram esses quatro anos desde deixar a engenharia e passar a trabalhar com idosos, mesmo sem ter formação ou experiência qualquer na área. Até hoje as pessoas me olham com cara de assustadas quando me perguntam “o que você é?” querendo saber o que eu estudei, e digo que fiz engenharia.

 

Na verdade, não sou fisioterapeuta, médica, t.o, e nem tão pouco engenheira. Sou apenas uma pessoa que de alguma forma quer ajudar as pessoas as viverem melhor o tempo que ainda tem, e encontrei isso através da Vida Priori.

COMPARTILHE O POST

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email