idosos carentes

Precisamos falar sobre idosos carentes

A sociedade tem o hábito de estereotipar a velhice, seja com um olhar positivo (sempre bonzinho, engraçado ou “super-jovem”) ou com um olhar negativo (rabugento, resiste a mudanças, presos a valores ultrapassados), o que por si só já é um erro. Existe idosos com todo tipo de personalidade, comportamento, histórico. Se a pessoa sempre teve uma personalidade forte por exemplo, porque que ao chegar aos 80 anos ela passaria a ser doce e amável 100% do tempo?

Outra questão que é bastante enraizada em nossas crenças é que o idoso carente mora em uma casinha simples em um bairro afastado ou até mesmo em alguma Instituição. De fato estudos mostram que a diferença de expectativa de vida de uma pessoa que mora em um bairro rico da capital paulista e outra que vive em um bairro pobre chega a 24 anos. A expectativa de vida de quem nasce no Jardim Paulista, um bairro nobre da cidade, é de 79,4 anos. O índice para quem vive no Jardim Ângela, na periferia, é de 55,7 anos *

Isso mostra quanto o acesso a saúde, higiene, educação e segurança impactam na vida das pessoas e das famílias.

Porém, podemos notar que o idoso carente, do ponto de vista econômico, pode não viver tanto quanto aquela pessoa com melhores condições sociais. E aí entra um outro aspecto de carente.

Segundo dicionário, carente é aquela pessoa que tem necessidades não atendidas, que precisa de algo. E se prestarmos atenção muitas vezes o idoso pode ter as melhores condições sociais, acesso aos melhores médicos, aos melhores tratamentos, à refeições balanceadas e cuidadores profissionais 24 horas, porém esquecemos que não é só disso que o ser humano carece para viver.

É preciso receber atenção, sentir-se amado, ter amigos, ser cuidado -não apenas por profissionais que deveriam estar ali para auxiliar a família, e não substituir. Qualquer ser humano necessita de interação social, e muitas vezes um idoso de 90 anos em um desses bairros chiques aí de cima, por mais que tenha todas as condições básicas atendidas continua carente, e aquele idoso com mais dificuldades sociais (que o Estado tem a obrigação de suprir!) se sente muito menos carente!

 

*Fonte: nossasaopaulo.org.br/…/arquiv…/mapa-da-desigualdade-2017.pdf

COMPARTILHE O POST

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email